Cerca de 85% das casas são vendidas em menos de seis meses - Home Page Jurídica

Numa notícia avançada pelo jornal Público, esta sexta-feira, estima-se que cerca de 85% das casas são vendidas em menos de seis meses. O investimento no setor imobiliário já ultrapassa os 70 milhões.

renda casa 2

Cerca de 85% das casas estão a ser vendidas em menos de seis meses, de acordo com uma notícia avançada esta sexta-feira pelo jornal Público. O investimento no setor imobiliário em Portugal já ultrapassa os 70 milhões de euros.

Segundo estimativas dadas pelo presidente da Associação Portuguesa dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), 85% dos imóveis demoram até 6 meses a ser vendidos: 37,7% leva entre um e 3 meses e 46,67% demora entre 4 e 6 meses. O setor imobiliário português apresenta-se com um dinamismo que há muito não se verificava, representando atualmente 70% do mercado.

Relativamente aos dados confirmados para venda de casas no mercado em 2017, o tempo médio de venda de um imóvel tem vindo a diminuir significativamente: em 2014 e 2015, o tempo médio era superior a dois anos; atualmente, um terço dos imóveis demora entre um a três meses a ser vendido.

A rapidez com que o mercado absorve os imóveis que são colocados para venda reflete sobretudo a intensa procura que existe pelo segmento imobiliário, que representou 11% do PIB no ano passado, segundo a APPII – Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários.

Entre perspetivas favoráveis e outras contra, as propostas do Bloco de Esquerda e do PSD foram ouvidas esta semana, no sentido de dar um novo rumo ao mercado imobiliário português. As iniciativas surgem com o objetivo de combater a especulação imobiliária e penalizar aqueles que compram e vendem imóveis num tempo muito reduzido, inflacionando os preços do mercado.

Catarina Martins, a líder do BE, disse que a proposta (a chamada “taxa Robles”) seria semelhante à taxação “dos movimentos da especulação em bolsa”, sujeitando a uma taxa especial quem compra e vende num curto período de tempo e com muito lucro. Por sua vez, o presidente do PSD, Rui Rio, não se afasta totalmente da proposta do BE, defendendo que “aqueles que estão na especulação devem ser penalizados”, mas que a taxa de IRS deve ser diferenciada consoante o tempo durante o qual um imóvel é vendido e, portanto, que “aqueles que andam a provocar preços especulativos paguem um imposto superior ao daqueles que não o fazem”. Já o líder parlamentar do PS, na passada terça-feira, manifestou-se contra a proposta do BE dizendo que “a especulação não se combate com uma taxa que é uma repetição do imposto de mais-valias que já existe. A especulação combate-se eficazmente com o aumento de oferta de habitação acessível”.

in Observador | 14-09-2018

 

Conteúdo Relacionado:

 

NEWSLETTER JURÍDICA HPJ - Receba os nossos destaques!

OUTRAS NOTÍCIAS

INFORMAÇÃO JURÍDICA ÚTIL

banner upt set 2018 

agenda juridica 2018 promo 

moloni banner

DESTAQUES

gnr concursoestudante deslocado

afixacao obrigatoria direito laboralquiz destaque

inovcontacto 2018crta conducao banner

LIVROS C/ DESCONTO %