Insolvências sobem 0,7% em julho mas são inferiores às dos últimos anos - Home Page Jurídica

O número de insolvências avançou 0,7% em julho para 428 empresas, no entanto, o seu valor acumulado apresenta-se "gradualmente inferior" ao longo dos últimos três anos, avançou hoje a Iberinform Crédito y Caución.

sentenca tribunal

“Em julho registou-se um aumento das insolvências, com 428 empresas insolventes, mais três que no período homólogo de 2018 (acréscimo de 0,7%). Contudo, o seu valor acumulado apresenta-se gradualmente inferior ao longo dos últimos três anos, com menos 243 insolvências face a 2018 (redução de 7,0%)", indicou, em comunicado, a empresa.

Por tipologia, até julho, "as quebras foram mais acentuadas". Enquanto as declarações de insolvência requeridas diminuíram 18,9%, as apresentações à insolvência pelas próprias empresas registaram uma redução de 21,9% e os encerramentos com plano de insolvência cederam 27,1%.

Nos primeiros sete meses do ano, foi declarada a insolvência de 1.772 empresas, mais 140 processos encerrados do que no período homólogo de 2018, o equivalente a um aumento de 8,6%.

Já por distrito, Porto e Lisboa são os que apresentam valores de insolvência mais elevados com 829 e 678, respetivamente, o que se traduz numa queda de 32,3% em Lisboa e numa subida de 10,7% no Porto.

Por sua vez, há seis distritos com aumentos nas insolvências no período em causa - Aveiro (4%), Braga (40,1%), Coimbra (21,5%), Faro (7,6%) e Angra do Heroísmo (9,1%) -, que representam 43% do total.

No sentido inverso, as reduções mais significativas verificaram-se em Vila Real (-49,1%), Guarda (-37%), Castelo Branco (-35,2%), Setúbal (-21%), Viana do Castelo (-18,3%) e Beja (-18,2%).

Entre janeiro e julho, por setor, apenas as telecomunicações (33,3%), agricultura, caça e pesca (27,3%), indústria transformadora (14,2%) e transportes (9,2%) apresentaram aumentos nas insolvências.

As reduções mais acentuadas verificaram-se nas áreas da eletricidade, gás e água (64,7%), indústria extrativa (27,3%) e outros serviços (20,3%).

Em julho, por seu turno, foram constituídas 3.674 novas empresas, mais 331 do que em 2018, um aumento de 9,9%.

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, verifica-se um acréscimo de 11,5%, em comparação com o período homólogo, com um total de 31.212 constituições.

Lisboa lidera as constituições com 10.278 novas empresas, mais 6,1% do que em 2018, seguida pelo Porto (5.671, mais 12,9%).

Em termos percentuais, a maior progressão registou-se na Horta, que passou de 28 constituições em 2018 para 52 este ano, mais 85,7%.

Todos os setores analisados apresentaram uma variação positiva na constituição de novas empresas, com as maiores alterações a registarem-se nas atividades de transportes (125,2%) e eletricidade, gás e água (95,8%).

A Iberinform é a filial de Crédito y Caución que oferece soluções de gestão de clientes para as áreas financeiras, de marketing e internacional.

in Noticias ao Minuto | 08-08-2019 | LUSA

 

 

Conteúdo Relacionado:

NEWSLETTER JURÍDICA HPJ - Receba os nossos destaques!

INFORMAÇÃO JURÍDICA ÚTIL

banner upt nov 2019

agenda juridica 2020 geral

calendario forense hpj 2020

360 imprimir banner 350x96

wook banner 350 nov 2019

banner collex 350 nov 2019

LIVROS C/ DESCONTO %

DESTAQUES

 codigo trabalho 2019 info

 radar psp banner

 quizz hpj banner