Ministério da Administração Interna diz que as autoridades têm feito uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização, no cumprimento do decreto que regulamenta o estado de emergência.

policia

As forças de segurança detiveram 64 pessoas desde o início do estado de emergência, em 22 de março, por crime de desobediência, e mandaram encerrar 1.449 estabelecimentos, segundo um balanço divulgado esta sexta-feira pelo Ministério da Administração Interna.

O estado de emergência em Portugal deve-se à pandemia de coronavírus, que provoca a doença covid-19 e que já provocou em Portugal 76 mortes.

De acordo com o comunicado, as 64 detenções, efetuadas pela GNR e PSP foram registadas até às 18h00 desta sexta-feira e deveram-se designadamente a violação da obrigação de confinamento obrigatório e a “outras situações de desobediência ou resistência”.

“O Ministério da Administração Interna, perante a imperiosa necessidade de todos contribuírem para conter o contágio da covid-19, insiste no cumprimento rigoroso das medidas impostas pelo estado de emergência”, diz o comunicado.

O MAI diz ainda que quer a GNR quer a PSP têm feito uma intensa atividade de sensibilização, vigilância e fiscalização, no cumprimento do decreto que regulamenta o estado de emergência.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, surgir na China, em dezembro de 2019 e já infetou cerca de 540 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 25 mil.

Em Portugal registam-se 76 mortes e 4.268 infeções confirmadas, segundo o último balanço da Direção-Geral da Saúde.

in Renascença | 27-03-2020 | LUSA

 

 

Conteúdo Relacionado:

NEWSLETTER JURÍDICA HPJ - Receba os nossos destaques!