Para um salário bruto de 750 euros - num jovem solteiro, sem dependentes - há uma poupança acumulada de 1.674,75 euros ao fim de cinco anos. Já se o vencimento mensal bruto for de mil euros, o valor acumulado sobe para 2.038,32 euros.

irs

O primeiro-ministro já garantiu que, no novo Orçamento do Estado para 2022, o IRS Jovem vai ser alargado a cinco anos e aos trabalhadores independentes. Um alargamento que, no final do período, representará uma poupança de dois meses de salário, indicam as contas da consultora EY para o Eco.

Para um salário bruto de 750 euros - num jovem solteiro, sem dependentes - há uma poupança acumulada de 1.674,75 euros ao fim de cinco anos. Já se o  vencimento mensal bruto for de mil euros, o valor acumulado sobe para 2.038,32 euros.

No ano passado, o Governo introduziu o IRS Jovem, um benefício fiscal que permite isentar parcialmente, durante três anos, os jovens que tenham concluído, pelo menos, um ciclo de estudos do nível quatro de qualificações (ensino secundário com estágio).

Essa isenção, que teve efeitos pela primeira vez na declaração de IRS entregue este ano, incide sobre 30% do seu rendimento coletável no primeiro ano, 20% no segundo e 10% no terceiro ano. Só pode beneficiar da medida quem tenha um rendimento coletável até aos 25.075 euros.

in Jornal de Negócios | 11-10-2021

 

 

Conteúdo Relacionado:

NEWSLETTER JURÍDICA HPJ - Receba os nossos destaques!